[A Princesa da Árvore] Prólogo



Eu tinha 11 anos quando a minha mãe morreu. Ela era tudo para mim, tudo o que possuía e que pudesse se chamar, sem mentiras, de família. Portanto, não tardou para que as tias de linhagem distante e mais velhas, penalizadas, oferecessem-me ajudas que se resumiam a palavras e promessas vazias. Pode contar comigo para o que precisar. Você não está desamparado, diziam, enquanto me abraçavam e enchiam minhas faces com beijos vermelhos, borrando minhas maçãs rosadas de rubro. O perfume forte e sempre muito doce delas impregnava em minhas roupas e em minhas narinas. Era difícil livrar-me de tais manchas e aroma.
Um mês depois, eu estava sozinho. Ninguém aparecera para cumprir suas promessas.
Disseram-me, então, que minha mãe estaria sempre por perto de mim, protegendo-me e guiando meus caminhos. Isso me animou e acalentou minha dor incurável. Tentei manter contato com ela todas as noites. Fechava meus olhos e a imaginava, desejando veementemente que aparecesse, se personificasse, para que pudéssemos desfrutar de algumas horas de conversa e carinho. Entretanto, ela nuca veio.
Aí tentei ficar mais próximo de Deus. Procurei fazer amizade com Ele, conversava com o nada, imaginando que o todo poderoso me escutaria. Após inúmeros monólogos com a parede, pedi que o Senhor entrasse em contato comigo, manifestando, assim, sua existência divina. Mas Deus, também, nunca escutou meus apelos. Jamais se pronunciou.
Depois, desisti.
Então o ceticismo surgiu, matando minhas esperanças infantis e corroendo minha fé. Deixei de acreditar em muita coisa. Parei de crer nas pessoas, no imaterial, no divino. Minhas leis seguiam a lógica da selva. Era preciso aprender a sobreviver no inferno terreno e esquecer a existência do paraíso. Porque essa era a verdade universal: o inferno está aqui, e os demônios somos nós mesmos.
E demônios não sobem aos céus.

Projetos alternativos e divulgação

Olá, pessoal.
Como todos sabem, estou em um período de hiatus. Pausei as atividades relacionadas a Yume por hora, assim como o ajuste da música do livro e o projeto audiovisual que temos em mente. Pretendo retomar dentro de um ou dois meses, mas, por enquanto, tudo está parado até segunda ordem. Continuo, também, a procurar editoras para Outubro, porém estou sem escrever por um tempo. Tenho várias ideias em mente, contudo estão todas "de férias". Também tenho o intuito de voltar a trabalhá-las logo e, se der, em um período menor - no máximo, até minha vida se estabilizar e todo esse alvoroço passar. Estou escrevendo a Inevitável, o primeiro livro de uma série que prossegue sem nome. Em breve, voltarei a escrever e divulgarei as novidades por aqui.
Contudo, para não deixá-los órfãos de minha presença e de minhas ideias, estou com um projeto alternativo de produção de uma fotonovela. Para quem não sabe, fotonovela é uma espécie de novela que segue o formato de uma histórias em quadrinhos, mas que, ao invés de usar desenhos, usa fotos. Foi bastante comum entre as décadas de 50 e 70 no Brasil (inclusive, eu já peguei em uma revista que continha uma dessas, na minha remota infância), e esse é um hobby muito comum entre as colecionadoras de boneca que encontro no Flickr. Temos, por exemplo, a Musse e a Fran (clique nos nomes delas para acessarem suas galerias), que produzem suas historinhas com suas dolls e cenários deslumbrantes! Dá para passar horas apenas lendo o que esse pessoal criativo e talentoso inventa e divulga.
E, bom, essa é a minha primeira experiência com fotonovelas. Já tinha tentado algumas vezes, mas nunca me atrevi a fazer uma realmente grande, com planos escritos no papel e tudo. O projeto se chama A Princesa da Árvore, e pretendo fazer um conto de fadas com um toque mais gótico. Espero conseguir :) Já estou planejando cenários e vestuário dos bonecos. O prólogo está pronto, e as ideias borbulham na minha cabeça. Com o aval de vocês, postarei aqui também essa pequena brincadeira que já está no Flickr e no Facebook.
A outra coisa que eu queria falar é do vídeo que a minha grande amiga Otania Freire fez. Para quem viu o Desafio Yume, a Otania era a moça da foto, e foi ela quem escreveu comigo a letra da música do livro, Sonhos, e colocou a melodia. A Tótis (como é mais conhecida pelos amigos) já está com algumas músicas autorais prontas, mas apenas a primeira, Por Você, foi registrada e, agora, colocada no Youtube:) Estou colocando o vídeo para vocês conhecerem o trabalho da Otania e, caso venham a gostar, divulgarem ^_^
O link é esse: http://www.youtube.com/watch?v=ap8sw3OIimw&feature=channel

E essas foram as últimas novidades! :)
Até breve!
Kami

Followers

A Dama Pálida

Minha foto
Kamile Girão
Fortaleza, Ceará, Brazil
Garota, estudante de Letras, protótipo de escritora. Ama velharia, música antiga, pilhas de livros, pilhas de DVD's, desenho, bonecas, um sardentinho geek e, principalmente, escrever.
Visualizar meu perfil completo
Ocorreu um erro neste gadget
Blog contents © O Fabuloso Destino da Kami 2010. Blogger Theme by NymFont.