Pessoas, c*zagem, mimimis

Tem em um momento na sua vida em que tá tudo bastante atribulado. Sabe aqueles dias em que você acorda e tem vontade de continuar dormindo, ou que você acorda e, instantaneamente, cai na sua cara todas as coisas que você tem que fazer e as que deveria fazer naquele dia (e que, obviamente, não vai dar)? Então. É nesses momentos que você pega um peniquinho branco, começa a bater diversas vezes no chão, ou então ergue uma bandeirinha branca. Não importa o que faça, o importante é gritar: "PAREM O MUNDO, QUE EU QUERO DESCER!! EU ME RENDO!".
Ok, feito isso. Você está uma pilha de nervos, prestes a explodir. E sabe quando aparece aquela pessoa que ainda te olha e chega com mimimi? Você observa, escuta até desaforo dessa pessoa (oi, eu já escutei!), e chega até o momento em que você respira profundamente para não dizer aquelas palavrinhas mágicas: "vai.tomar.no.c*". Mas, em determinada hora, você não aguenta mais e a sua vontade é de mandá-la tomar lá, ir para lá, casar, reproduzir e morrer por lá. E também chega aquela hora em que você se dá conta de que não, não é necessário escutar aquilo tudo quando já tem um mundo quebrando em cima da sua cabeça. Esse é o pior momento. É nesse instante em que não importa quem seja a criatura que esteja ousando ainda mencionar uma vogal que seja, você fala, grita, esperneia, manda para os quatro cantos do inferno e não tá nem vendo se magoou ou não, porque tudo que você quer é que essa pessoa morra sufocada com cabelos na boca na porta do banheiro.
E aonde eu quero chegar com isso?
Vez ou outra, aparecem uns trolls na minha vida. Até pessoas que eram minhas amigas tornam-se trolls às vezes. Então, sei mais ou menos como lidar com gente assim. Por isso mesmo, aqui vai meu recado simpático para pessoas com cuzagens e mimimis que ainda cutucam onça com vara curta:
- Nunca procurem pessoas que tem toneladas de coisas a fazer, pensar e se importar para relatar problemas. Esse tipo de gente não está nem em condições de cuidar de si mesmo, quanto mais dos outros. Se quer psicólogo, procure um em uma agenda telefônica.
- Se quer descontar raiva ou fazer algum tipo de comentário SÉRIO sobre relações de amizade ou qualquer coisa, procure outro momento, em outra hora e em outro lugar. Acredite, se ousar falar algo que quer em um momento crítico, irá escutar o que você não quer e o que você pensa que nunca escutaria dessa pessoa. E, tenha certeza: ela não será simpática nem nas palavras e nem no tom de voz.
- Por fim: em um momento crítico, você não é e nunca vai ser uma coisa de extrema importância na vida dessa pessoa. Então, ela não vai se importar mesmo se você tiver ficado sentido ou se seu mimimi vai aumentar. Talvez, depois, ela se arrependa, mas quem garante, não é mesmo?

Aprenderam a lição, queridos trolls amantes de cuzagem?

Listenning: Secrets, The Pierces.

1 comentários:

... 4 de dezembro de 2010 02:52  

EITTA MAN, quem é você e o que fez com a mams ? oO

@paablopimentel

Postar um comentário

Followers

A Dama Pálida

Minha foto
Kamile Girão
Fortaleza, Ceará, Brazil
Garota, estudante de Letras, protótipo de escritora. Ama velharia, música antiga, pilhas de livros, pilhas de DVD's, desenho, bonecas, um sardentinho geek e, principalmente, escrever.
Visualizar meu perfil completo
Ocorreu um erro neste gadget
Blog contents © O Fabuloso Destino da Kami 2010. Blogger Theme by NymFont.